TRADUTOR

Seguidores

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

MALANDRO ZÉ DA LAPA






Sou malandro, sou Zé da Lapa,
tenho jogo de cintura, 
tenho amor à vida,
 a vida reverencio. 

Dos meus limites não passo, 
cada qual no seu quadrado, 
em livre arbítrio não interfiro, 
dentro da Lei eu ajo.

Que sempre há tempo aprendi,
ele é amigo fiel, 
na hora certa dá, 
na hora certa tira. 

É através do tempo que busco, 
de cada um a razão, 
o mistério do tempo se abre, 
dando ou não permissão. 

Por isso sou malandro, 
para lidar com a situação, 
sem desrespeitar a Lei ou o Tempo, 
procuro a solução. 

Ditado por Zé da Lapa
psicografado por Luconi
em 12-02-2018

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

UMBANDA SENTIDA POR UMA MENINA





Quem sou eu para julgar algo como certo ou errado? Muitas pessoas já devem ter se perguntado isso e nenhuma resposta encontrado, pois na minha opinião somos muita coisa para julgar como certo ou errado, temos noções básicas das coisas que Deus nos deu, se não de nada valeria o livre arbítrio; logicamente não devemos apontar os erros de ninguém, mas formar uma opinião, um conceito, em nossa mente não é errado, se por um acaso formarmos a opinião errada posteriormente aprenderemos a correta, afinal estamos aqui para aprender.


Comecei a lhes falar disso por um simples motivo, fico abismada com os milhares de centros espíritas que vejo por ai. Um centro espírita é a casa de uma religião, como a igreja pode ser a casa do catolicismo, por exemplo, em uma igreja várias religiões são propagadas, em um centro espírita não é diferente. A minha vontade aqui é expressar minha opinião sobre a Umbanda especificamente.


Como vocês devem ter notado, cresci com um centro umbandista em meu quintal, esse centro foi evoluindo com o passar dos anos e com ele fui aprendendo muitas coisas. Antigamente o nosso centro era muito frequentado, meu tio doava seu corpo a um espírito muito evoluído e esse irmão sentava com os filhos e os visitantes em uma roda para passar ensinamentos do nosso Pai, mas ninguém lhe dava muito ouvidos, os visitantes estavam mais interessados em como ganhar dinheiro ou apenas com sua evolução material.


Umbanda está relacionada a macumba por aí, isso está completamente errado. Macumba tem uma interpretação ruim, vemos por macumba aquilo que é feito por oportunistas para fazer amarrações amorosas, para prejudicar alguém, enfim para conseguir o que se quer com uma 'ajudinha'. Digo a vocês que a Umbanda pura não está relacionada com nada disso, a Umbanda foi criada para espalhar o amor, a Umbanda teve que ser criada porque muito antes dela já existia essa tal macumba e se alguém faz alguém desfaz.


Logicamente existem centros umbandistas corrompidos, que não seguem as leis da Umbanda, mas da mesma forma existem igrejas corrompidas. Desde que a religião propague o bem ela deve ser respeitada e seus seguidores também, pois para assumir ser de QUALQUER religião tem que ser muito corajoso, tem preconceito para tudo hoje em dia, vejo por ai pessoas zombando de quem é católico que é uma das religiões mais tradicionais do mundo. 


Deveria existir o respeito entre as religiões, deveria existir respeito entre opiniões e escolhas, cada religião é um caminho a ser seguido para encontrar Deus, o caminho quem escolhe somos nós, cada escolha deve ser respeitada, pois todos temos como objetivo final o mesmo.


Agradeço ao Senhor por ter tido a oportunidade de crescer em meio a umbandistas honestos, tive a chance de ver o lado bom e o ruim, pois já visitei centros por ai e infelizmente raramente eles propagavam somente o amor, muitos misturam as coisas, mas tenho para mim que a corrente dos irmãos que estão evoluindo e sabendo como separar o que é fazer o bem e o que é aceitar trabalhos sujos para se fazer, macumba, está aumentando cada vez mais, tenho para mim que é essa a corrente que vai nos ajudar a limpar o nome da nossa querida Umbanda e, além disso, vai ajudar a promover o respeito com o próximo.






Este texto foi escrito por uma menina de dezesseis anos que com sua simplicidade nas palavras e pouca vivência falou algumas verdades. 


domingo, 21 de janeiro de 2018

SABER CONHECIMENTO MÃE MARIA DE ANGOLA




Muitas são as perguntas que os filhos fazem, querem saber isso, aquilo e aqueloutro, esquecem-se que tudo tem o tempo certo para ser desvendado, há mistérios que aqui nesta Terra ainda não existe a possibilidade de serem desvendados, outros podemos falar apenas um pedacinho dele, mas muitos já foram muito bem elucidados e estão a disposição de quem se propõe a aprender.

No entanto,mesmo aqueles que foram desvendados, não o foram totalmente, pois existem coisas que é inalcançável para a mente humana encarnada ou desencarnada.

O saber não está à disposição para apenas um grupo de privilegiados, todos têm o direito de chegar até este saber, quem os passou o fez com a autorização de Olorum, passando os ensinamentos sem nada cobrar por ele, pois os passou com amor esperando que na humanidade todos que estivessem no tempo certo de aprender até eles chegassem.

A espiritualidade entende que existe na Terra um custo material para tudo que se queira fazer, então permite que se cobre os livros que foram editados contendo este saber,  entende que o médium que se dedica exclusivamente a este trabalho precisa com certeza sobreviver, mas não concorda quando filhos são vedados a aprender por não terem o dinheiro suficiente para entrar neste ou naquele curso. Claro que estou me referindo a ensinamentos religiosos. Umbanda é amor e fraternidade e como exemplificar isso se só é aceito quem pode despender de determinada soma.

Perguntamos, onde fica a fraternidade?
Onde fica o amor? Onde fica a fé? Será possível que a obra de um homem se desvirtue desta forma? Será possível que se tenha tornado o meio de vida para muitos? Sim porque vemos pessoas que abrem mão de seu dever sagrado do ganha pão de cada dia, exatamente para se dedicar a ganhá-lo através de seus cursos.

Tem o ponto de preto velho que diz: É devagar, devagarinho quem anda com preto velho nunca fica no caminho.


A espiritualidade não vai julgar ninguém, entende a necessidade dos templos, entende que se uns podem pagar e isto for dirigido para o sustento do Templo para que esse mesmo templo possa através de seus Orixás e entidades praticar a Umbanda atendendo, socorrendo a quem a este Templo chega sem onerar a corrente da casa, que muitas vezes entre os seus filhos existem quem mal têm o pão de cada dia, nesta condição então pode ser feita uma cobrança a quem pode pagar, pois o valor arrecadado gerará caridade seja para o Templo ou para quem nada tem e precisa de ajuda material.

Também a espiritualidade entende que quando o Templo para levar o saber a seus filhos precisa de pessoa graduada de fora do Templo esta pessoa deve ser ressarcida de seu trabalho a menos que abra mão deste ressarcimento total ou parcial.

Tornou-se necessário este esclarecimento, não para um determinado templo, mas para todos, que fiquem alertas e não desvirtuem o que a Umbanda é, paz e amor que gera fraternidade. Infelizmente já existem alguns que estão desvirtuando neste sentido e infelizmente os cabeças envolvidos não se dão conta disso.

A espiritualidade tem mais mistérios para abrir com certeza, mas aguarda o merecimento dos filhos, aguarda a maturidade destes filhos em matéria de evolução na fraternidade e aguarda esta febre que tomou conta dos filhos de Umbanda passar e caírem em si que é devagar, gradualmente e que nem todos que querem estão aptos a receber tais ensinamentos, pois ainda estão engatinhando na questão Fraternidade e na questão de anulação do ego.

Que Pai Oxalá esteja com vocês irradiando a fé pura e Mamãe Oxum irradiando o Amor puro o amor


ditado por Mãe Maria de Angola
psicografado por Luconi
em 21-01-17

sábado, 30 de dezembro de 2017

O VELHO ANO E AS SACOLAS PARA O TEMPO



Já está quase na reta final, sabia que mais de um ano de vida terrena não teria, um ano que valeria por muitas vidas, pois vivenciado foi por todos seres viventes. Chega dez minutos antes, ao longe vê o jovem ano chegando, é cumprimentado com reverência, afinal o jovem de um ano atrás é o ancião de hoje e cumpriu sua trajetória.


Abraçam-se, as lágrimas dos dois se misturam, o ancião sabe o que espera o jovem, o jovem emociona-se pela vitória do ancião.


Ambos em frente da fonte da vida, o sagrado Oceano, ergue suas mãos em direção ao infinito e faz sua prece. Então do fundo de seu eu, três sacolas surgem e o jovem ano indaga: _ O que são as sacolas?
_ Ah! Você também as tem, só que as suas estão vazias. Explico:
A primeira é a que guarda as boas ações de cada ser humano, está lotada, mas é leve.
A segunda, já pesada, guarda as más ações cometidas pelos seres humanos de forma inconsciente, pois eles não sabiam o mal que faziam, as mágoas que geraram, as evoluções que paralisaram.
A terceira bem mais pesada é as ações originárias da maldade humana, daqueles que desejaram realmente o mal de seu próximo conscientes do mal que faziam, praticaram-no apenas por vingança, por inveja, por egoísmo, ou pensando em si mesmo, no poder que iriam ganhar, no seu  enriquecimento pessoal. - Ele respira fundo e continua:
- Agora meu filho, como sabe nós viemos do Tempo, através de mim, graças a Mãe da Vida, gerou-se um novo ciclo. Portanto, eu envio ao Tempo Divino as três sacolas. A primeira será recebida e os créditos de cada boa ação contabilizada para quem a praticou. A segunda, O Tempo, dentro da Misericórdia Divina, irá proporcionar ações para que o ser humano inconsciente do mal que fez, tenha sua consciência despertada e assim alcance o arrependimento, tendo chances de evolução mais rapidamente. Agora a terceira sacola, o Tempo dentro das Leis Divinas, irá no tempo certo proporcionar a estes seres a paralisação para que decantem sua negatividade, podendo ou não neste processo se arrependerem e se voltarem para a Luz, mas este é um processo demorado e dolorido, às vezes passa séculos ou milênio, tudo depende de cada um.- Finaliza o ancião.
_ Sim, concordo, estes últimos serão julgados imediatamente, pois são arraigados ao mal. Os segundos terão novas oportunidades antes do julgamento, porque carregam já o Amor dentro de si mesmos, ganhando consciência através de atos de amor, poderão acertar seus débitos. Mas e os primeiros? - Conclui e indaga o jovem.
_ Ora meu jovem, os primeiros com certeza eram os segundos em vidas anteriores e nesta já conscientes acertam seus débitos e o Tempo levará a sacola deles a Lei Divina que a levará a Justiça Divina para que suas penas sejam quitadas.
_ Como Deus é sábio!
_ Sim, Ele ama incondicionalmente a todos. Agora estou cansado. - Dizendo isso o velho ano espalmou a mão para o infinito e uma espiral apareceu e ele colocou ali cada sacola que foi desaparecendo. Em seguida, espalmou a mão para o mar e uma luz intensa o envolveu, gerando-lhe nova vida. Ao término sua aparência era bela, um ancião que transmitia a fé, o amor a paz.
Então abraçou o jovem ano e a espiral apareceu e ele através dela ascendeu.
O jovem ano o olhava extasiado, mas logo uma voz que vinha do mar, disse-lhe:
_ Vá filho do tempo, estou gerando nova vida a todos seres viventes, a todo planeta. Você vai, leva a bagagem que o Tempo Divino te deu para cada ser e a espalhe como uma espiral girando, depois siga cumprindo sua trajetória.
A voz se calou e ele girando muito rapidamente no sentido do relógio, espalhava aquele pó prateado invisível aos olhos humanos. Quando terminou o relógio do tempo, marcava 00:01 , o novo ano iniciará.


Luconi
30-12-2017

Feliz entrada de ano, que as bençãos do Senhor estejam presentes em todo momento de nossas vidas e que nós saibamos reconhecer.


Feliz 2018