TRADUTOR

Seguidores

quinta-feira, 29 de junho de 2017

FALANDO SOBRE EXU





Na Umbanda a origem de Exu está em função da necessidade de existirem guardiões, encaminhadores e combatentes das forças trevosas. Trabalho básico da Umbanda. Por isso se diz que “Sem Exu não se faz nada”. Isso não porque Exu não deixa, porque é vingador, traíra ou voluntarioso como querem fazer pensar algumas lendas sobre Exu, mas sim porque não há como combater forças trevosas sem defesa e proteção. 

Então pode vir a pergunta: “Então nossos guias (caboclos e pretos velhos) não nos protegem e defendem?” Claro que protegem e defendem, entretanto cabe a Exu o primeiro combate, o combate direto contra as energias que circulam no Astral Inferior. Esta é a especialidade de Exu, pois conhece profundamente os caminhos e trilhas desse ambiente energético. É a sua função primeira, assim como a dos Caboclos e Pretos Velhos é a de nos orientar e aconselhar.
         
Tudo na Umbanda é organizado, coerente e lógico.
Tendo isso em mente, um segundo mito a ser desfeito diz respeito a confiabilidade de Exu. Como disse anteriormente, Exu não é traíra! Qual a lógica de Orixá e entidades de luz o colocarem como guardião, defensor se ele fosse “subornável”, se ele não fosse confiável? 

Seguindo o mesmo raciocínio outro mito que não tem base alguma é “Exu tanto faz o mal quanto faz o bem e depende de quem pede. Nós é que somos os maus na história”. Não existe “defesa” pior para Exu do que esta, pois trata-se de outra incoerência! Se uma criança sabe diferenciar o bem do mal, como Exu, conhecedor de segredos de magia, manipulador de magia, defensor, combatente de forças trevosas possa ser tão imbecil a ponto de não diferenciar o bem  do mal e o que é pior trair a confiança de Caboclo e Pretos Velhos? E ainda por cima não ter nenhum tipo de aspiração evolutiva, ou seja, ficar sempre entregue a mercê de nossa vontade nunca aspirando evoluir? Aí vem outra pergunta: “Mas eu fui num terreiro e disseram que o trabalho contra mim foi feito por um Tranca Ruas”.

 Resposta: o trabalho foi feito por um obsessor se passando por Tranca Ruas. Aliás, obsessor se passa por tudo, inclusive por enviado de Orixá, como Caboclo e Preto Velho. E por que isso acontece?

Por causa de médiuns invigilantes. Médiuns pouco compromissados com o Astral Superior, médiuns e dirigentes ignorantes. Médiuns e dirigentes que buscam os terreiros de Umbanda para satisfazer as suas baixas aspirações, como válvulas de escape para fazerem “incorporados” o que não tem coragem de fazer de “cara limpa”! Médiuns de moral duvidosa que gritam, xingam, bebem, dançam de maneira grotesca para uma casa religiosa e imputam a Exu esses desvarios. 
Caso estejam realmente incorporados estão na realidade é sofrendo a incorporação de kiumbas (que são espíritos moralmente atrofiados ou que buscam apenas tumultuar o ambiente).

Nunca um Exu ou Pomba Gira de verdade irá se prestar a um papel desses. Outro ponto que gera muita confusão diz respeito a incorporação de Exu, pois já ouvi a pergunta: “Se ele é guardião, quando está incorporado não está “guardando” nada.”  Novamente a lógica e a coerência devem falar mais alto do que a ignorância e a incredulidade. O Exu Guardião não é o que incorpora nos terreiros. Os que incorporam são Exus de Trabalho (como eu costumo chamar), de defesa pessoal do médium. Esses Exus também participam dos trabalhos junto aos Exus Guardiões e Amparadores no combate as forças do Astral Inferior, mas os Exus de Trabalho tem um outro tipo de compromisso que é com a Banda do médium e para com a Casa a qual o médium está. Por isso respeitam o templo religioso e não induzem o médium a embriaguez, algazarra ou a comportamentos chulos e deselegantes. São espíritos de luz em busca de evolução. Que estão altamente compromissados com as esferas superiores, com os guias e protetores do médium e com toda a egrégora de luz da Casa na qual o médium está inserido.

Trabalhando diretamente com esta egrégora eles auxiliam no combate e encaminhamento dos espíritos que são atraídos pela corrente de desobsessão do terreiro que fazem parte. A exemplo de Nossa Casa os Exus de Trabalho de cada médium participam diretamente dos trabalhos realizados pela Corrente de Desobsessão Cura de Caboclo Pena Branca. Entretanto, cabe lembrar, que o estágio evolutivo de Exu de Trabalho está abaixo de Caboclo e Pretos Velhos.

Isso não significa que não sejam evoluídos apenas encontram-se num estágio abaixo. Sua energia é mais densa. Consequentemente a sua vibração ou energia de incorporação está mais próxima (ou mais similar) a vibração de terra, exigindo do médium um nível de elevação diferenciado do que quando vai incorporar um Caboclo ou Preto Velho ou até mesmo outro enviado de Orixá. Ou seja, quando o médium se prepara para a incorporação, ele tem que se concentrar e elevar a sua própria vibração, enquanto a entidade incorporante baixa a sua. Quanto mais evoluída for a entidade incorporante, mais sutil é a sua energia e mais exigirá do médium concentração e elevação para a incorporação.

Outro aspecto a ressaltar é que esse estágio evolutivo não impede Exu de trabalhar conjunta e harmoniosamente com entidades mais evoluídas, até porque além de trabalharem sob as suas ordens, ou seja, sob as ordens de enviados de Orixá, a questão “hierarquia” é muito bem resolvida no Astral Superior. Lá não existem “disputas” pelo “poder” ou se questiona quem “manda”. Todos estão conscientes de seus papéis e do trabalho que precisa ser realizado, além de trabalharem com um mesmo objetivo, a Caridade! A palavra de ordem de Exu é “compromisso”! Por tudo isso ele não é e nem nunca foi traidor ou do “mal”.

 
SOBRE A INCORPORAÇÃO DE EXUS
             
Exu e Pomba Gira quando incorporados em seus médiuns, podem se apresentar de duas maneiras básicas: alegres ou sérios. Mas mesmo na alegria não há desrespeito ou comportamentos inadequados a um templo religioso. E ainda vou mais longe, e o que vou dizer agora visa justamente desmistificar outro mito ligado a Exu.

Quando o Exu é deselegante o médium também o é, só que disfarça quando não está “incorporado”. Esse médium invigilante e portador de moral duvidosa ao receber a energia de incorporação de Exu (que começa a se dar através da aproximação do mesmo), por ser uma energia bastante similar a nossa e justamente por estar mais próxima a crosta terrestre, onde o combate com o Astral Inferior se dá, passa a dar vazão aos seus sentimentos menores, influenciando e interferindo diretamente na incorporação do Exu, que assiste a tudo desconsoladamente. Transferindo para Exu sentimentos e comportamentos que são seus. Isso não chega a ser mistificação, ou seja, fingimento, porque existe a energia de Exu ao lado ou perto do médium. A mistificação envolve o fingimento puro e simples, sem envolvimento de energia ou proximidade de entidade alguma. Mas trata-se de animismo.

A incorporação de Exu e Pomba Gira envolve a manipulação energética de chacras inferiores, e o que acontece no caso descrito acima é que o médium deliberadamente utiliza mal essa energia. Digo deliberadamente, porque isso envolve intenção, moral e mal aproveitamento da energia de Exu.
Com a continuidade da insistência do médium em se utilizar dessa energia para a manifestação de seus desejos e aspectos menores, em pouco tempo há a queda do médium... O Exu se arranca e fica o que? Kiumba que assume o nome do Exu e aumenta os desvarios... E o médium não percebe porque no fundo usa a influência do kiumba (aliás, um usa o outro) para brigar com a mulher, encher a cara de cachaça, falar palavrão, fazer pedidos de oferendas nas encruzilhadas da vida, matança de animais e outras aberrações.

Cabe a direção da Casa coibir veementemente esses comportamentos no seu nascedouro, ou seja, no médium e assim que começam acontecer. Chamando-o a realidade, orientando e desestimulando atitudes desse tipo. Tentando recuperar o médium. Mas se for o caso não deve pestanejar em tomar medidas drásticas para a solução do problema.

SOBRE A CAPACIDADE DE MANIPULAÇÃO ENERGÉTICA DE EXU

Voltando a questão energética de Exu, já falamos que ele é um grande manipulador de energias, transfigurando-se em formas diferenciadas de acordo com o ambiente em que está. A exemplo disso vemos Exu se apresentando aos obsessores que irão combater em configuração que desperte medo e/ou respeito. Ele não poderia se apresentar a um “inimigo” como se fosse uma linda Cinderela... Isso não assustaria ninguém, então ele assume sim formas rudes, entretanto ele o faz por estratégia e não por serem deformados, e muito menos eles tem chifres, rabos e pés de bode como são tão mal retratados nessas imagens que encontramos em casas de artigos religiosos.

Como Exu manipula energias para assumir outra configuração “física”? Em primeiro lugar há que se dizer que a forma original de Exu é humana, nada tem de partes de animais, porque os espíritos que compõe a falange de Exu são espíritos como nós, muitos são contemporâneos inclusive.            
Então Exu tem dois braços, duas pernas, uma cabeça, dois olhos, enfim... Assim como nós. Foram homens e mulheres normais das mais variadas profissões.
            
Bem, em primeiro lugar em função do trabalho que irá executar ou da “batalha” que irá travar Exu estuda o ambiente que irá entrar, em seguida vibrando numa faixa bem acima do meio que irá adentrar, estuda os seus “adversários”, suas intenções, seus planos, seus graus de compreensão, seus medos, etc.Estabelece uma estratégia e assume a configuração que irá atingir o ponto fraco da maioria do grupo que irá combater.
Lembrando que Exu não trabalha sozinho, isso é feito em agrupamentos sob a supervisão direta de um enviado de Orixá. Com isto vemos outra capacidade de Exu, vibrar em faixas diferentes de energia.
E detalhe importantíssimo: tudo isso sem a necessidade de sacrifícios de animais e despachos em encruzilhadas, porque quem “recebe” tudo isso é kiumba!
Estamos habituados a assistir a visão distorcida de muitos sobre o Exu Guardião, não só pelas práticas inadequadas de preceitos, como também pela realização de cultos e oferendas, como se os mesmos se comprazessem destes ritos. A ignorância de muitos ou mesmo o dolo de alguns, geram dúvidas, incertezas ou mesmo medo.
        
É,... se houvesse uma tentativa mínima para compreender a sua função, dentro do equilíbrio da Lei Divina, a grande maioria teria uma enorme surpresa. Para os que compreendem com maior profundidade as entrelinhas das Tradições, poderão observar que nos processos reencarnatórios, os Exus cumprem o papel fundamental para sua ocorrência, ou seja, se estamos encarnados, é por decorrência das suas especialidades.  
        
Além deste aspecto, os Exus (de Lei ou Guardiães) cumprem a sua missão através da execução da Justiça. Eles estão acima dos princípios do Bem ou do Mal, pois em nosso Universo, o Mal, por enquanto, é o predominante. Se pararmos um pouco para refletir, veremos que o ser encarnado, procura projetar a sua consciência em outras pessoas ou objetos, quer dizer, realiza o "espelho" de sua consciência.  
        
O maniqueísmo (bem x mal) é apenas o estado das consciências dos seres espirituais encarnados ou não, propiciado pela egrégora do inconsciente coletivo, que vem sendo construída a partir da terceira raça, a Atlantiana, que fixa conceitos e imagens, que deturpam e distorcem a verdadeira função de Exu.
Nos cinco continentes, práticas deletérias de feitiçarias e bruxarias vêm impregnando determinados conceitos, criando imagens disformes e esdrúxulas, projetando e estimulando o mal, que está na própria consciência das pessoas. E, em muitas regiões, esse mal está totenizado, ou seja, projetado em  estranhas estatuetas com cornos na fronte, pés de animais, ossos,...  
        
Entretanto, cabe um alerta importante, o inconsciente coletivo, pela própria desarmonia dos pensamentos, plasma o mal que cada um de nós carrega e, para fugir da responsabilidade individual, cada um transfere psiquícamente para outra pessoa ou objetos, os "demônios" que seriam nós mesmos, nossas consciências.        

Não se deve esquecer, que somos responsáveis por essas "criações" e que por tanto serem idealizadas, elas ocorrem do outro lado da vida e vice-versa. E, animados em uma corrente mental pesada e negativa, essas formas anômalas acontecem, fazendo com que você desça mais na escala de densidade vibracional. E, as humanas criaturas por sua vez, que se sintonizam mentalmente a isso, embora tenham, um corpo físico às vezes aparentemente normais, quando se desdobram do corpo astral, ficam da mesma forma animalizados.

Assim, para os que vêm Exu como parte disso, como dizem por aqui, "podem tirar o cavalinho da chuva", pois Exu atua na paralela passiva da Lei, denominada de Quimbanda, pois as ações devocionais a seres mencionados acima, estão na Kiumbanda, onde são encontrados seres com aspectos até mais indescritíveis de anomalias. Estes, são ainda, insubmissos a Lei, a Luz... mas por enquanto.  
        
A nossa inteligência não pode concordar, que os seres que nos assistem, permitam praticar o bem e o mal em um mesmo local. Seria no mínimo idiota e os mesmos seriam volúveis a tal ponto de ajudar com uma mão e agredir com a outra. Não se esqueça, que Exu é Serventia dos Orixás e os mesmos seguem as orientações emanadas por Criança, Caboclo e Pai Velho.  
         Para finalizar, se você vier pedir a um Exu de Lei para prejudicar alguém, pode estar certo que você será o primeiro a levar a execução da Justiça. Mas, se a entidade travestida ou disfarçada de Exu aceitar o seu pedido,... bom, vamos nos encontrar no outro lado... Você será apenas cobrado!

Elegbá babá Esuriá
Mo-Ju-Ibá

Com votos de profunda paz nos seus pensamentos, irradiante alegria nos seus sentimentos e harmonia nas suas ações, com prosperidade, força e minha bênção.    Tashamara



quarta-feira, 14 de junho de 2017

MENSAGEM DE EXU MAIORAL






Meu nome te assusta, meu comportamento te ameaça. Deverias lembrar que venho dentre tantos outros companheiros de quem você se agrada.

Sinto dizer que sou resultado das egrégoras criadas na Terra através dos pensamentos mais vis e profanos.

Quem não existia passou a ter energia em milhares e milhares de anos alimentada se tornou uma potência negativa.

E Deus na sua divina sabedoria e misericórdia nos colocou nessas frentes de batalha, somos conhecidos pelos nomes que criaram as energias negativas: Belzebu, Maioral, Lucifer e alguns outros ... Nós somos o outro lado da balança.

O problema é que não só nós, mas todo EXU é reflexo de vocês, e não aquele reflexo bonito e pintado que você vê no espelho. Somos o reflexo verdadeiro. Um sábio uma vez me disse que somos o retrato de Dorian Grey.
E esse reflexo nem sempre é bom de se ver...

Não te julgo, criança. Sua crendice não vai mudar o que eu sou.
E eu sou aquele que esteve ao seu lado em cada lágrima, em cada tombo e em cada traição. Pra me vingar por você ? NÃO , para não permitir que a maldade manchasse a beleza da tua fé.

Continuo aqui e em todo lugar, por eles e por você.



Exu Maioral
psicografado por Eveline Luconi Popi


Mensagem passada para seu médium, que aqui postamos por que a mesma ideia disforme que este médium tem muitos outros médiuns também cultivam.

quarta-feira, 7 de junho de 2017

SEMENTES DO MESMO FRUTO




 Assisto nascer na Terra,
dois novos plantios,
sementes de um mesmo fruto,
fruto de árvore frondosa.


Plantios aparentemente paralelos,
caminhando lado a lado,
mas que inevitavelmente se cruzam,
tornando-se um ao mesmo tempo que dois são.


Pois é muito forte o elo,
não existindo mais fraco ou mais forte,
ambos pela mesma espiritualidade são amparados,
ambos se completando.


A experiência de um o início do outro ampara,
hierarquia sempre sendo respeitada,
os guerreiros da Luz empunhando suas armas,
tendo como escudo a Fé e como arma o Amor.


Serão juntos o exemplo para muitos,
que vivem se digladiando,
quem é o mais forte querem provar,
para satisfação de suas vaidades.


Mas só tem realmente força,
aquele que não a procura,
aquele que consigo carrega,
dentro de si a Lei Divina.


Por isto aprendeu,
que por mais que saiba,
nada realmente sabe,
perto da imensidão dos mistérios Divinos.


Entende com humildade,
que muito tem que aprender,
então medita quando algo lhe é diferente,
de mente aberta para a evolução.


Deus, Zambi, Olorum, os abençoe,
sigam em frente no amor do Mestre Jesus,
na paz de Oxalá.


Ditado por Áspargos
psicografado por Luconi
em 06-06-2017

domingo, 4 de junho de 2017

MISSÃO DOS MESTRES DA LUZ PARA COM OS MÉDIUNS







Irmãos, meditemos nas palavras de São Francisco.

Esse é o trabalho dos mestres da luz.

Cada entidade ( como assim vós chamastes os mestres de aruanda) tem a missão de levar a paz do Divino até as almas que estão presas as mazelas terrestres, sejam elas encarnadas ou desencarnadas.
E na umbanda o trabalho é feito através dos médiuns , cambones e ogãs.

As palavras e ensinamentos dos mestres devem morar em seus corações e para seguir o caminho da vida deve se meditar nas lições aprendidas.

Quando o médium diz: “Ah isso só os guias conseguem fazer ( seja compreender ou perdoar). O médium está se omitindo da lição, se definindo incapaz de evoluir e declarando estar conformado em manter os velhos hábitos que o trouxeram a Terra. 

Esse comportamento dificulta o trabalho do mestre, que embora venha através do médium praticar a caridade para aqueles que sofrem, a maior missão do mestre é você. Você que incorpora nele e se acopla as suas energias.
E cada consulente que ali se apresenta, mesmo aquele mais perdido que vocês acham que não tem jeito, até esse consulente mesmo sem saber, pratica a caridade com você. Por que através do que ele vivencia teu mestre te ensina uma lição.

Acabada a reunião cada médium cuida com carinho dos objetos inanimados que pertencem aos guias mas se esquecem de guardar com o mesmo zelo suas palavras, seus ensinamentos. A verdadeira riqueza da Umbanda é poder abraçar, ouvir e ser amigo de um mestre da luz.

Quando ouvirdes os ensinamentos e cuidarem deles como cuidam das coisas serão umbanda todos os momentos e diante de todos.
A matéria traz em si suas dificuldades, ora pois, o que faz o aprendiz diante de seu mestre quando não consegue seguir o ensinamento ?  

Admite! Mestre eu não consigo, cuida de mim, me ensina de novo, segura a minha mão.
Ah que alegria para o mestre ter a chance de carregar seu pequeno no colo!
Meu ensinamento de hoje é que anotem, relembrem, meditem sobre cada palavra que os mestres deixarem pra vocês.
Para que não só nas reuniões mas em todos os dias de vossas vidas sejam instrumentos da paz.
Quanto mais seu coração se abre para seu mestre, mais amor e caridade habitam nele.

É um caminho florido, se enganam aqueles que acham que a mediunidade é árdua.
Ela só é difícil para aqueles que não abrem seu coração, para aqueles que não enxergam que precisam crescer. Esses sofrem, sofrem porque é mais difícil lapidar uma rocha do que moldar o barro.
A escolha é de vocês !


Pelo espírito João de Albuquerque
psicografado por Eveline Luconi Popi
em maio de 2017